Google Tag Manager

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Aprendendo a aprender e a elaboracao de apostilas de referencia

taxonomiadebloom03

Aprendendo a aprender e a elaboração de apostilas de referência.


Considerações:

Taxonomia dos objetivos educacionais

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
http://pt.wikipedia.org/wiki/Taxonomia_dos_objetivos_educacionais


 
O Círculo de Bloom onde é mostrado a Taxonomia cognitiva do psicólogo estadounidense (em espanhol)
A taxonomia dos objetivos educacionais, também popularizada como taxonomia de Bloom, é uma estrutura de organização hierárquica de objetivos educacionais.
Foi resultado do trabalho de uma comissão multidisplinar de especialistas de várias universidades dos EUA, liderada por Benjamin S. Bloom, na década de 1950.
A classificação proposta por Bloom dividiu as possibilidades de aprendizagem em três grandes domínios:
- o cognitivo, abrangendo a aprendizagem intelectual;
- o afetivo, abrangendo os aspectos de sensibilização e gradação de valores;
- o psicomotor, abrangendo as habilidades de execução de tarefas que envolvem o organismo muscular.
Cada um destes domínios tem diversos níveis de profundidade de aprendizado.
Por isso a classificação de Bloom é denominada hierarquia: cada nível é mais complexo e mais específico que o anterior.
O terceiro domínio não foi terminado, e apenas o primeiro foi implementado em sua totalidade.

Índice


Domínio cognitivo

As habilidades no domínio cognitivo tratam de conhecimento, compreensão e o pensar sobre um problema ou fato.
  • Conhecimento: memorização de fatos específicos,de padrões de procedimento e de conceitos.

  • Compreensão: imprime significado, traduz, interpreta problemas, instruções, e os extrapola.

  • Aplicação: utiliza o aprendizado em novas situações.

  • Análise: de elementos, de relações e de princípios de organização.

  • Síntese: estabelece padrões.
  • Avaliação: julga com base em evidência interna ou em critérios externos

Domínio afetivo

Na hierarquia de Bloom, o domínio afetivo trata de reações de ordem afetiva e de empatia. É dividido em cinco níveis:
  • Recepção: Percepção, Disposição para receber e Atenção seletiva
  • Resposta: participação ativa, Disposição para responder e Satisfação em responder
  • Valorização: Aceitação, Preferência e Compromisso (com aquilo que valoriza)
  • Organização: Conceituação de valor e Organização de um sistema de valores
  • Internalização de valores: comportamento dirigido por grupo de valores, comportamento consistente, previsível e característico.

Domínio psicomotor

O domínio psicomotor, na hierarquia de Bloom, trata de habilidades relacionadas com manipular ferramentas ou objetos.
Bloom não criou itens para esse domínio; outros autores fizeram propostas.
  • Percepção:
  • Resposta conduzida:
  • Automatismos:
  • Respostas complexas:
  • Adaptação:
  • Organização:

Revisões e críticas

Uma das questões sobre o trabalho de Bloom é a existência ou não de uma hierarquia estrita e sequencial.
 
A classificação foi mais tarde revisada por diversos cientistas, como Lorin W. Anderson e David R. Krathwohl, co-autor do trabalho original.
 
Essa nova classificação apresenta mudanças como colocar síntese em um nível mais elevado do que avaliação.

Referências

1- Lorin W. Anderson et Lauren A. Sosniak. Bloom's Taxonomy: A Forty-Year Retrospective : Ninety-Third Yearbook of the National Society for the Study of Education, University of Chicago Press, 1994. isbn 0226601641

2- Lorin W. Anderson, David R. Krathwohl, Peter W. Airasian, Kathleen A. Cruikshank, Richard E. Mayer, Paul R. Pintrich, James Raths e Merlin C. Wittrock. A Taxonomy for Learning, Teaching, and Assessing — A Revision of Bloom's Taxonomy of Educational Objectives. Addison Wesley Longman, Inc. 2001. isbn 9780801319037
  • Benjamin S. Bloom et al.:Taxonomia dos objetivos educacionais, vols 1 e 2, Editora Globo.
  • Taxonomy of Educational Objectives: The Classification of Educational Goals; pp. 201-207; B. S. Bloom (Ed.) David McKay Company, Inc. 1956.
Imagens mais atuais sobre o assunto.
Taxonomiadebloom01
Baseado em Pohl, Aprendendo a pensar. Pensando para aprender.

Taxonomiadebloom02
Baseado em 2009 – A caixa de ferramentas dos profissionais que aprendem.

Para saber mais, clique em Mais informações, abaixo.


Apostila Pronatec
 
Entendemos que um conteúdo bem definido e escrito, organizado de modo a atingir os objetivos de aprendizagem de um curso é fundamental para o sucesso de um projeto.
 
Iniciamos a escrita do conteúdo pela lista dos objetivos de aprendizagem gerais e específicos apoiando o conteudista na estruturação dos objetivos utilizando a taxonomia de Bloom.
 
Para cada objetivo de aprendizagem específico cujo conteúdo deve ser escrito, consideramos que devam ser escritas entre 1 a 2 laudas (1500 caracteres com espaços).
 
Com este conteúdo, será criada até 1 hora-aula utilizando apostila impressa e objetos interativos.
 
Modelo de Curso Técnico

Entendemos que o material impresso e online devem "conversar", buscando pontos complementares onde a interatividade que o online proporciona possa ampliar as oportunidades de formação de competência.
Apesar das tecnologias de indexação e busca facilitarem a navegação no conteúdo, é inegável que o aluno busca na apostila a referência para relembrar e reforçar o conhecimento aprendido.


Nesse sentido, entende-se que a apostila seja o concentrador do conteúdo fundamental, aquele que desenvolve as competências essenciais enquanto que o material web rico em interatividade propicia experiências complementares que reforçam e retém o conhecimento.
 
O modelo de estrutura da forma
 
"introdução+desenvolvimento+conclusão" não auxilia o conteudista e tampouco o aluno a entender as conexões do texto.
 
O conteúdo de uma maneira geral deve ser concebido com base nos objetivos de aprendizagem únicos e auto-contidos.
 
Desta forma, o mesmo conteúdo que pode ser adequado para impresso, pode ser transformado em roteiro para mídias ricas e interativas produzindo o efeito de complementação esperado.
 
Uma vez que o material impresso tem a função de ser uma referência do conteúdo, sua leitura e consulta deve ser facilitada por elementos gráficos, glossário e referência cruzada.
 
O conteúdo deve estimular o aluno a buscar complementação, propiciando locais para que o aluno anote as referências encontradas.
 
A estrutura do ambiente web deve ser alinhada com a estrutura do impresso para facilitar a busca por material complementar.
 
As diferentes mídias utilizadas devem estar agrupadas e introduzidas ao aluno com um pequeno resumo do conteúdo sobre o que a mídia trata.
 
Com base nestas premissas, propomos a estruturação do curso técnico da seguinte forma.

Conteúdo Bruto 2-3 laudas/hora de curso
Apostila impressa 4-8 paginas impressas / hora
Total de ilustrações técnicas 0,25 ilustras por página impressa
Total de ilustrações complementares 0,50 ilustras por página impressa
Elementos instrucionais 2 elementos / hora
Telas online 6 telas por objeto de aprendizagem
Casos de uso 10% do total de elementos
Infográficos 40% do total de elementos
Quiz 30% do total de elementos
Simulações 5% do total de elementos
Vídeos 15% do total de elementos
Fonte: Pesquisa na Internet em 07/12/2011 entre 14:00 e 22:00.
http://fabrico-cursostecnicos.blogspot.com/
 
Os 4 Princípios do ensino individualizado:
1- Interesse
2- Memória
3- Envolvimento emocional
4- Prática
Correlação da Taxonomia de Bloom com as ferramentas do Google.
taxonomiabloomgoogle_

A pirâmide de Bloom e as midias digitais
bloom-pyramid_blog
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...